• Caop Saúde Pública

Informe nº 1006 - 30 de maio de 2018

Edição nº 1006 - 30 de maio de 2018

Saúde Integral da População Negra

No Brasil, o último censo apresentado pelo IBGE (2010) apontou que 50,7%, ou seja, 96,7 milhões de brasileiros são negros. No Paraná, a amostra de domicílio, PNAD Contínua (2017), registrou que essa população, entre 2015 e 2016, passou de 3,1% para 3,3%, ou seja, um acréscimo de 6,45%.

Embora no estado não haja a predominância deste grupo, os gestores da saúde devem ficar atentos à execução de políticas públicas a ele destinadas.

É que, por meio da "Política Nacional de Saúde Integral da População Negra", os administradores públicos dos três níveis, federal, estadual e municipal, firmaram o compromisso para o combate às desigualdades no SUS.

O pacto Inclui a implementação de ações voltadas especificamente para esse conjunto de pessoas, considerando, especialmente, a prevalência de algumas doenças que as acometem, como, por exemplo, a anemia falciforme, diabetes mellitus (tipo II) e a hipertensão arterial, que exigem pronta prevenção e efetivas providências de atendimento.

É imprescindível, portanto, que as instâncias do SUS empreendam esforços para o mapeamento de indicadores de saúde nessa área de atenção, de modo a compreender as demandas e especificidades desse público e promovam as adequações na rede de saúde para garantir o acesso universal.

Cabe ao MP solicitar informações correspondentes ao município, atuando conforme as necessidades ou incosistências eventualmente detectadas.

 

Para saber mais:

- Política Nacional de Saúde Integral da População Negra.
- Cartilha população negra.

Saúde X paralisação dos caminhoneiros

Em razão da paralisação dos caminhoneiros, o CAOP Saúde editou o Ofício Circular nº 8/2018, com orientações que possibilitem a atuação do MPPR em relação à liberação de trânsito de cargas especiais nas estradas do Paraná, especialmente de produtos de interesse para a saúde, como medicamentos e insumos hospitalares.

Foi expedido, adicionalmente, ofício ao Secretário de Estado da Saúde - SESA/PR, para que, até no prazo de 24 horas (a expirar em 30/05), encaminhe relatório quanto à situações críticas existentes na rede de atenção à saúde circunstanciando se está havendo alguma impossibilidade grave de atendimento, ou seja, especificando situações de dificuldade, sem solução até o presente. Solicitou o CAOP, ainda, que se disponibilize o plano de contingência, da parte da VISA, quanto à eliminação de resíduos animais que pereceram, de modo a preservar a saúde das populações onde tais eventos ocorreram.

Clique para acessar:

- Ofício circular nº 8/2018.
- Ofício nº 670/18 - CAOPSAU

 
Recomendar esta página via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem