• Caop Saúde Pública

Edição nº 1024 - 11 de outubro de 2018

Edição nº 1024 - 11 de outubro de 2018

Tem melhor idade para ter saúde?

Com o envelhecimento da população mundial e o aumento da expectativa de vida, cada vez mais é necessário compreender os determinantes sociais e biológicos do envelhecimento e suas consequências para o indivíduo e a sociedade1.

Com essa finalidade, países das Américas, Europa e Ásia vêm desenvolvendo pesquisas denominadas “Health and retirement family of studies”. Tais estudos levam em conta as particularidades locais, mas compartilham a mesma metologia para permitir comparações internacionais em relação a esse grupo demográfico.

No Brasil, o Estudo Longitudinal da Saúde dos Idosos Brasileiros (ELSI-Brasil) revelou que mais de 22 milhões de pessoas acima dos 50 anos dependem exclusivamente do SUS. Ou seja, menos de um quarto (24,7%) de indivíduos contam com a rede privada ou suplementar como primeira alternativa de cuidado2.

Segundo os dados apresentados pelo Ministério da Saúde3, nos últimos 12 meses 83,1% de idosos realizaram pelo menos uma consulta médica, 10,2% foram hospitalizados uma ou mais vezes, quase 40% dos idosos possuem uma doença crônica e 29,8% possuem duas ou mais como diabetes, hipertensão ou artrite.

Para o Ministro da Saúde, Gilberto Occhi, o órgão precisa desenvolver “ações para uma alimentação saudável, para a promoção de atividades físicas, inibir o consumo do álcool e do tabaco, e ainda para as pessoas com idade acima de 60 anos, oportunizar o diagnóstico de doenças de forma cada vez mais precoce. É dessa maneira que podemos oferecer à nossa população um envelhecimento saudável”.

 

Fonte: IBGE, 2018. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/index.html

 

Com a tendência de inversão da pirâmide populacional, é imprescindível o aprimoramento e formulação de novas políticas públicas voltadas à saúde do idoso. É importante, nesse sentido, que os membros do Ministério Público envidem esforços para assegurar a implementação das políticas destinadas aos idosos, observando as particularidades loco-regionais e as características das redes municipais de saúde.

Para conhecer mais sobre a saúde do idoso, o CAOP Saúde indica a consulta aos seguintes repositórios:

i) Estudo Longitudinal da Saúde dos Idosos Brasileiros

ii) Sistema de Indicadores de Saúde e Acompanhamento de Políticas do Idoso

iii) Linha Guia de Saúde do Idoso – 2017 – Secretaria de Estado da Saúde

iv) Portal da Pessoa Idosa do Ministério da Saúde

 

_________________________

1LIMA-COSTA, Maria Fernanda. Envelhecimento e saúde coletiva: Estudo Longitudinal da Saúde dos Idosos Brasileiros (ELSI-Brasil). Disponível em: http://www.rsp.fsp.usp.br/artigo/envelhecimento-e-saude-coletiva-estudo-longitudinal-da-saude-dos-idosos-brasileiros-elsi-brasil/

2Correio do Brasil. Cerca de 22 milhões de idosos dependem com o Sistema Único de Saúde (SUS). Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2018/10/02/interna-brasil,709537/cerca-de-22-milhoes-de-idosos-dependem-com-o-sistema-unico-de-saude-s.shtml

3MINISTÈRIO DA SAÚDE. Disponível em http://portalms.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/44451-estudo-aponta-que-75-dos-idosos-usam-apenas-o-sus

Crédito pela imagem: Designed by rawpixel.com / Freepik

 

 
Recomendar esta página via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem