• Caop Saúde Pública

Correio da Saúde - Informe nº 527 - 19/05/2009

 

AS UNIDADES DE PRONTO ATENDIMENTO (UPAs) E ATENÇÃO BÁSICA: UM DIAGNÓSTICO SOMBRIO

A edição do dia 16/05/09, do Jornal do Brasil, traz a matéria intitulada "O SUS ainda não saiu do papel", da médica sanitarista e professora da UFRJ, Maria de Lourdes Tavares Cavalcanti.

Na opinião da articulista, as UPAs, unidades de pronto atendimento, que foram recentemente criadas como uma instância de atendimento intermediária entre as unidades básicas e os serviços especializados e ajudariam a desafogar as emergências hospitalares, não vêm funcionando a contento e já apresentam problemas semelhantes aos que deveriam ter solucionado (superlotação, demora no atendimento, etc.).

Os motivos, segundo ela, são a insuficiência da atenção básica, a precariedade das condições de trabalho, a desarticulação dos serviços, o subfinanciamento orçamentário, além da deficiência na gestão.

A professora finaliza, sintetizando que, embora as UPAs não sejam a solução dos problemas, mas apenas uma pequena parte do sistema, o ideal seria ter hospitais públicos em condições favoráveis e um sistema de saúde mais completo, com médicos da família e postos de saúde em funcionando adequadamente.

Clique aqui para ler o artigo no Jornal do Brasil.

 

 

Recomendar esta página via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem